A utilização de veículos autônomos vem se expandindo largamente em diversas áreas, incluindo indústrias, residências, projetos militares, de segurança, vigilância e agricultura.

Exemplos de sua aplicação podem ser encontrados na robótica móvel, na navegação de aeronaves e de veículos aquáticos; em tarefas industriais e domésticas automatizadas, segurança de residências, defesa de áreas, desastres ecológicos, desarmamento de bombas, etc.
Grandes investimentos nesta área são destaque no mundo inteiro.

Para corroborar sua importância, podemos citar a licitação realizada em 2012 cujo objetivo consiste em desenvolver um VANT (Veículo Aéreo Não Tripulado) de decolagem e pouso automático (DPA-VANT), com investimento de 4,5 milhões de reais para o desenvolvimento em dois anos. O valor será coberto integralmente pela FINEP. O projeto está sendo gerenciado pelo Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial e conta com o apoio do Ministério da Defesa e a participação do Centro Tecnológico do Exército e do Instituto de Pesquisas da Marinha. (fonte Wikipédia)

No Brasil, estes investimentos estão concentrados nos veículos aéreos.

Por outro lado, a hidrografia do Brasil que envolve o conjunto de recursos hídricos do território brasileiro, as bacias hidrográficas, o oceano, os rios, lagos, lagoas, arquipélagos, golfos, baías, cataratas, barragens, etc. é gigantesca.

O Brasil é banhado pelo Oceano Atlântico, desde o cabo Orange até o arroio Chuí, numa extensão de 7.408 km, que aumenta para 9.198 km se consideramos as saliências e reentrâncias do litoral.

Nosso país possui uma das mais amplas, diversificadas e extensas redes fluviais de todo o mundo. Conta com a maior reserva mundial de água doce e tem o maior potencial hídrico da Terra; cerca de 13% de toda água doce do planeta encontra-se em nosso território.

Além disso, a maior parte da energia elétrica gerada no Brasil tem procedência de empreendimentos hidrelétricos, que respondem por quase 71% de toda a capacidade instalada do País, com 929 hidrelétricas em operação (fonte site www.brasil.gov.br)

Este imenso ambiente aquático gera um conjunto de necessidades de preservação, monitoramento, vigilância, patrulhamento, mapeamento e principalmente, de uso racional e produtivo.

Atender a estas necessidades é uma demanda que exige instrumentos, equipamentos, infraestrutura e pessoal de enorme monta.
Neste contexto, o VANTNA – Veículo Autônomo Não Tripulado De Navegação Autônoma configura-se um equipamento fundamental para a racionalização de recursos, apresentando-se como uma das soluções para a imensa tarefa de atender as necessidades do ambiente hídrico.

INVESTIR NESTE EQUIPAMENTO, CONSTITUI-SE QUESTÃO ESTRATÉGICA E DE SUMA IMPORTÂNCIA.